B O L E T I M Número 76 de Outubro 2007 - Ano VII

 BIP in English  BIP in English 

Início Destaque Editorial Especial Arquivo
 


O p i n i ã o  

  • A Vós a Razão
  • Colaboradora sugere: "A diferença pode ser um bom ingrediente para uma receita conseguida"...

  • Asneira livre
  • Colaborador propõe: "Vamos todos continuar esta saga de procura do conhecimento, sempre tendo em conta melhorar as condições de vida de todos e cada um dos habitantes desta nossa aldeia global".

  • Galeria do Insólito
  • É sabido que a correspondência que chega ao INESC Porto nem sempre vem com os nomes ou com a morada correctos. Já nos chamaram INESC MORTE e, por telefone, perguntaram se falava do INESC PORCO!

  • Biptoon
  • Mais cenas de como bamos indo porreiros...

Ver Notícias

 

A  V Ó S  A  R A Z Ã O


Um brinde à diferença!

Imagem Principal Artigo

Por Maria João Cardoso*

Pediram-me para escrever umas linhas para o BIP sobre a colaboração entre a Faculdade de Medicina e o INESC Porto.

Apresentando-me se calhar primeiro: médica, cirurgiã, dedicada ao tratamento do cancro da mama desde 1997 e exercendo actividade clínica no Hospital de S. João do Porto.

Em 2002, e procurando um tema para a minha tese de Doutoramento, fui apresentada ao Jaime Cardoso do INESC Porto, elemento da Unidade de Telecomunicações e Multimédia.

Quem nos conhece aos dois, poderá dizer com segurança que somos muito diferentes. Esta foi a primeira sensação com que fiquei quando fomos apresentados. Tive muitas e sérias dúvidas que nos conseguíssemos entender e realizar uma parceria proveitosa. Calculo que essa tenha sido a impressão do Jaime na altura (se calhar pior ainda!).

Conversámos sobre os nossos caminhos e expliquei-lhe que estava muito interessada em avaliar o resultado estético das doentes que tratávamos de cancro da mama. O nosso objectivo ao operá-las era retirar o cancro, deixando a mama restante com uma forma e tamanho o mais parecidos possível com o original, e simétrica com a mama contralateral.

Decidimos que iríamos tentar fazer a avaliação das fotografias digitais das doentes de forma a tentar criar um sistema automático de avaliação que fosse reprodutível, ao contrário da arcaica avaliação subjectiva até então utilizada.

Posso dizer-vos, sem falsa modéstia, que tivemos muito sucesso. A nossa aplicação foi criada, publicámos vários artigos sobre o assunto e ao contrário de muitas parcerias desenvolvidas com o intuito de escrever teses de doutoramento, a nossa, há muito que ultrapassou esse marco minimalista.

Posso também, dizer-vos que muito deste sucesso se deve ao Jaime e à sua forma de ser, diferente. Diferente, dos médicos com quem estou habituada a trabalhar, e que apesar da sua boa vontade, têm alguma dificuldade, se calhar pela dispersão das tarefas, em concretizar os objectivos. Os prazos são sempre ultrapassados e nunca existem limites.

Se calhar esta diferença entre nós é o brinde do sucesso. A sua perseverança, a sua necessidade de cumprir os tempos e atingir os objectivos traçados ensinou-me muito. É claro que esta contribuição é mútua mas o respeito pelo rigor das propostas apresentadas, dos tempos sugeridos e dos objectivos desenhados, aprendi-os com ele.

O que posso deixar como conselho a quem ler esta crónica é que a diferença pode ser um bom ingrediente para uma receita conseguida.

Neste momento sou investigadora do INESC Porto sob a orientação do Prof. Jaime Cardoso, com muitas ideias e projectos a concretizar na área da análise de imagem médica.

Por isso e por todas as concretizações prévias, um brinde à diferença!

*Colaboradora da Unidade de Telecomunicações e Multimédia (UTM)


CONSULTOR DO LEITOR COMENTA

Maria João,

Apetece fazer um brinde ao teu brinde...

Deve ser saborosíssimo para o Jaime ler o que escreveste: um tributo público. Mas assim o quiseste escrever, um brinde à diferença, e percebe-se que as qualidades que elogias no Jaime ultrapassam-no de alguma forma, elas têm que conseguir sustento no contexto cultural em que ele se move ou mover-se-ia da frustração ao desalento - ou mover-se-ia para fora e emigraria.

Necessidade de cumprir tempos e atingir objectivos. É esta a diferença que desejamos consolidar no INESC Porto: ganhar consciência da importância da atitude pessoal na satisfação destes critérios. Eles não são relevantes noutros contextos ou organizações mas a sua ausência de consideração explica fortemente o respectivo atraso de desenvolvimento.

No INESC Porto, procuramos construir uma realidade cultural em que cumprir tempos e atingir objectivos seja tão natural como respirar ou andar à chuva. Contribuímos para robustecer o que o Jaime já tem de bom, contribui agora o Jaime dando-te a sua versão aperfeiçoada dessa atitude de profissionalismo exemplar - e contribuirás tu adoptando o mesmo padrão e contaminando terceiros.

Assim, tornam-se fáceis os sucessos. Vejam os êxitos que vocês já tiveram. Fáceis e, por isso, com mais mérito ainda, compreenda-se. Porque ninguém vos ofereceu facilidades, vocês é que as constroem.





INESC Porto © 2021  |Discutir no Forum   |Ficha Técnica   |Topo      

RESPONSABILIDADE: O BIP é um boletim irreverente e não oficial e os artigos e opiniões publicados não pretendem traduzir a posição oficial da instituição, sendo da responsabilidade exclusiva dos seus autores.