B O L E T I M Número 76 de Outubro 2007 - Ano VII

 BIP in English  BIP in English 

Início Destaque Editorial Especial Arquivo
   

D E S T A Q U E

Quatro países em consórcio na partilha de conhecimento

INESC Porto aumenta oportunidades de negócio no sector da Construção

Imagem Principal Artigo

A Unidade de Engenharia de Sistemas de Produção (UESP) do INESC Porto concluiu recentemente o projecto Know-Construct. O objectivo foi criar uma plataforma colaborativa para gestão da informação direccionada para as PME do sector da Construção Civil. O balanço é claramente positivo, quer em termos do consórcio, quer para o INESC Porto que assumiu um papel preponderante na elaboração dos conceitos e abordagens inovadoras do projecto e na implementação da solução.

Objectivos do projecto
Enquadrado na medida “Investigação Colectiva” do Programa Horizontal de apoio a PME do Sexto Programa-Quadro da UE, este projecto teve como propósitos de negócio tornar mais eficazes e inovadores os serviços prestados pelas PME aos seus clientes, através de uma gestão de informação mais abrangente e sofisticada, que ultrapassasse as fronteiras das próprias PME.

O Know-Construct procurou ainda conseguir competências técnicas mais abrangentes para as PME através da colaboração e partilha de informação e conhecimento, implementadas em “comunidades de conhecimento. Um último objectivo era fomentar práticas de gestão colaborativa da informação entre PME no contexto de associações sectoriais, para tornar o papel destas ainda mais efectivo.

A aposta na tecnologia
Em relação aos objectivos tecnológicos, estes apontaram para o desenvolvimento de um sistema que proporcionasse a funcionalidade de CNM - Customer Needs Management - apoio ao cliente em termos de consultoria.

Outras das funcionalidades previstas foi o apoio à decisão no que concerne a características de produtos de construção, processos de aplicação, etc. Finalmente o sistema devia assegurar o KCS - Knowledge Community Support - apoio à formação e gestão de comunidades de PME do sector da construção, com foco na partilha de informação e conhecimento.

A equipa envolvida no projecto
Este projecto envolveu quatro países europeus: Portugal, Espanha, Alemanha e França, sendo o consórcio composto por quatro institutos de I&D: INESC Porto; Instituto da Construção; LABEIN (E), coordenador do projecto; e ATB - Institut für angewandte Systemtechnik Bremen GMBH (D). A equipa do INESC Porto foi coordenada por António Lucas Soares e contou com a participação de Hugo Ferreira, Manuel Silva e Dora Simões.

No Know-Construct participaram também quatro associações empresariais: a APCMC – Associação Portuguesa dos Comerciantes de Materiais de Construção, CAPEB (F), ASEFAVE (E), BAN (D). O projecto contou ainda com seis PME: CRUMAR – Comércio Internacional, BCM – Barros, Cavadas & Marques Lda, ELKA (E), PROCOMSA (E), SBZ (D) e WURBZ (D).


Resultados do projecto
Segundo o investigador António Lucas Soares, o projecto Know-Construct produziu essencialmente três resultados. O primeiro foi um protótipo de uma plataforma informática para apoiar Associações e PME na gestão colaborativa de informação e conhecimento sendo composta por dois módulos: Customer Needs Management e Knowledge Community Support.

Outro resultado foi uma ontologia do domínio da construção (CIK) que estrutura os conceitos fundamentais do domínio, obtida por refinamento e integração de um conjunto substancial e relevante (normas, ontologias já desenvolvidas) de fontes de informação. Por último, criou-se uma metodologia de implementação localizada de uma plataforma semântica através da integração de uma ontologia global (CIK) com ontologias locais.

Uma mais-valia para a Unidade
Em termos de impacto para a UESP, este projecto contribuiu para consolidar a investigação na área de gestão de informação e conhecimento em redes colaborativas em três vertentes: práticas de gestão de redes colaborativas, mais especificamente no tópico de comunidades virtuais patrocinadas por organizações e tecnologias; implementação de plataformas para gestão colaborativa de informação usando tecnologias da web semântica (ontologias, reasonners, bibliotecas de desenvolvimento, etc.) e questões relacionadas com a adopção, parte das PME, de plataformas baseadas em sistemas semânticos.

“As associações do sector são os “clientes” dos resultados do projecto inserido na área de Gestão da Informação e Conhecimento em Redes Colaborativas da Unidade e no tema Redes de Cooperação Empresarial do Laboratório Associado”, clarifica António Lucas Soares. 

Rentabilizar resultados
A UESP pretende capitalizar os resultados deste projecto refinando a plataforma semântica desenvolvida de forma a ser usada em contratos de desenvolvimento (nomeadamente de portais empresariais); consultoria na área de gestão de informação e desenvolvimento de sistemas de informação baseados em semântica (por exemplo, sistemas de classificação empresariais e de redes de empresas); e formação avançada em sistemas de gestão de conteúdos, gestão de comunidades empresariais e informática para comunidades.

“De salientar ainda que este projecto contribuiu para um doutoramento, tendo sido apresentados os seus resultados em várias conferências internacionais, e estando quase finalizado um artigo para submeter a uma revista internacional”, acrescenta o responsável do projecto.

Transferência de conhecimento
No caso dos parceiros industriais portugueses, a sua participação no projecto trouxe mais-valias em termos da aprendizagem de conceitos inovadores para o seu negócio e experiências de colaboração com congéneres estrangeiras e institutos de I&D. António Lucas Soares considera que o projecto trouxe vantagens imediatas em particular para a APCMC.

“Com o apoio do INESC Porto, foi implementado um protótipo de um portal avançado da associação, baseado nos conceitos desenvolvidos no projecto. Durante este processo houve transferência de conhecimento em gestão da informação, sistemas de gestão de conteúdos, entre outros, do INESC Porto para a APCMC”, finaliza o coordenador da equipa do INESC Porto.



INESC Porto © 2021  |Discutir no Forum   |Ficha Técnica   |Topo      

RESPONSABILIDADE: O BIP é um boletim irreverente e não oficial e os artigos e opiniões publicados não pretendem traduzir a posição oficial da instituição, sendo da responsabilidade exclusiva dos seus autores.