B O L E T I M Número 62 de Maio 2006 - Ano VI

 BIP in English  BIP in English 

Início Destaque Editorial Especial Arquivo
 


O p i n i ã o  

  • A Vós a Razão
  • Colaboradora propõe: “Antes que os crescentes problemas lombares obriguem à revisão contratual com a entidade de seguros, que tal sincronizar o bailado para uns elegantes 90º?”

  • Asneira livre
  • Colaboradora desabafa: “A verdade é que a maternidade é uma opção que carrega muito medo e ansiedade e tudo é muito nosso, muito da mãe - perdoem-me os homens, os pais que estão a ler...”

  • Galeria do Insólito
  • Como reagiria se durante um agradável vôo aos Açores, algúem instalasse o pânico a bordo? Temos um colaborador que demonstrou muita paciência e tranquilidade...

  • Biptoon
  • Mais cenas de como bamos indo porreiros...

Ver Notícias

 

A  V Ó S  A  R A Z Ã O


Do prato à boca perde-se a sopa*

Imagem Principal Artigo

Por Grasiela Almeida **

Há algumas semanas atrás, numa altura em que o trabalho “era” muito e o tempo escasso, decidi ir almoçar ao bar do INESC. Como eu, várias pessoas tinham tomado a mesma decisão. Escolhi a minha refeição e dirigi-me a uma mesa.

Rapidamente me apercebi de algo que todos os que trabalham no INESC já devem saber: a diferença de altura entre a cadeira e a mesa é tão insignificante que não existe! E nem preciso de me alongar em explicações sobre ergonomia. É notório o desconforto dos que lá almoçam a julgar pelo ângulo de 45º que os seus corpos desenham diante do repasto.

Talvez o bar tenha sido concebido inicialmente com o intuito de servir pequenos almoços e lanches ocasionais, mas a verdade é que o conceito evoluiu. E se a intenção era aligeirar a refeição, o efeito produzido é precisamente o contrário: os malabarismos que se fazem a conduzir uma simples colher de sopa, da tigela à boca, deixam qualquer um à beira de um ataque de nervos.

Antes que os crescentes problemas lombares obriguem à revisão contratual com a entidade de seguros, que tal sincronizar o bailado para uns elegantes 90º? Os inesquianos agradecem!


* Provérbio popular português

** Colaboradora da Unidade de Engenharia de Sistemas de Produção (UESP)

CONSULTOR DO LEITOR COMENTA

Grasiela,

Nada a acrescentar: disseste tudo. O conceito original seria outro e, depois, teve ainda uma interpretação mais original do arquitecto. Sim, não sei se os leitores do BIP o sabem, mas um passarinho disse-me que teria sido o arquitecto do edifício que desenhou os bancos e mesas.

Isso não serve de conforto a quem se desconforta no nosso bar. Este consultor acha que tens razão (a ti a razão) e, mais dia menos dia, esse assunto das mesas do bar (e bancos) terá que ser reequacionado. Muitos argumentarão que não é uma prioridade... mas a tua opinião desempoeirada, como a de muitos outros que se manifestarem, ajudará a mudar as prioridades.




INESC Porto © 2021  |Discutir no Forum   |Ficha Técnica   |Topo      

RESPONSABILIDADE: O BIP é um boletim irreverente e não oficial e os artigos e opiniões publicados não pretendem traduzir a posição oficial da instituição, sendo da responsabilidade exclusiva dos seus autores.