B O L E T I M Número 81 de Março 2008 - Ano VIII

 BIP in English  BIP in English 

Início Destaque Editorial Especial Arquivo
 


O p i n i ã o  

  • A Vós a Razão
  • Colaboradora afirma: "Quando todos “vestem a camisola” o desfecho é verdadeiramente excepcional"...

  • Asneira livre
  • Colaborador revela: "Por vezes os “openspace” dão a sensação de serem uma autêntica passerelle onde alguns personagens se passeiam exibindo os seus dotes vocais enquanto seguram o telemóvel"...

  • Galeria do Insólito
  • Todos temos o direito de ter as nossas superstições, mas há quem as leve demasiado a sério…

  • Biptoon
  • Mais cenas de como bamos indo porreiros...

Ver Notícias

 

G A L E R I A  D O  I N S Ó L I T O


Sapato de Mestre

Imagem Principal Artigo

Todos temos o direito de ter as nossas superstições mas há quem as leve demasiado a sério. Foi o caso verídico (o BIP nunca inventa, por mais insólito que pareça) de um jovem inesquiano que decidiu trazer os seus sapatinhos da sorte no dia em que foi apresentar a sua tese de mestrado.

Até aqui nada de estranho (quer dizer...), não fosse o facto de os sapatos-amuleto chegarem ao INESC Porto desfeitos. Literalmente - e a foto acima não diz  nada do que foi. Estava chuva, o material era fajuta, enfim... desfeitos mesmo, mas atenção: complementados com uma bela meia branca, visível até por baixo se ele acaso se sentasse e cruzasse a perna, revelando a lacuna da sola...

Ora este criativo investigador, face ao gáudio dos colegas e apercebendo-se porventura que os sapatos pudessem não conferir assim tanta sorte (podia o júri de avaliação ver o seu calcanhar de Aquiles…), iniciou então uma tão afanosa quão desesperada demanda por um sapatinho que servisse ao seu singelo pé nº 45.

A tarefa foi árdua mas no INESC Porto não há impossíveis, embora as coisas saiam às vezes ao contrário das fábulas: em vez de um sapato procurar o pé que lhe sirva, por cá cada Cinderela é que encontra encontra a sua chinela.

Depois de ter gasto as meias (sim, porque as solas, essas, já nem existiam…) a percorrer a Unidade de Energia em busca do calçado que servisse ao seu pezão, o jovem lá encontrou alguém caridoso e com sapatos à medida! E passou nas provas... (com concorrida assistência e alguém descalço na plateia, presume-se, e de pés grandes).

Desfecho feliz para uma Cinderela com calcanhar de Aquiles mas, espera-se (em nome da saúde do seu benfeitor), sem pé de atleta.



INESC Porto © 2021  |Discutir no Forum   |Ficha Técnica   |Topo      

RESPONSABILIDADE: O BIP é um boletim irreverente e não oficial e os artigos e opiniões publicados não pretendem traduzir a posição oficial da instituição, sendo da responsabilidade exclusiva dos seus autores.