B O L E T I M Número 73 de Junho 2007 - Ano VII

 BIP in English  BIP in English 

Início Destaque Editorial Especial Arquivo
 


O p i n i ã o  

  • A Vós a Razão
  • Colaborador sugere: "À semelhança do plano anual de formação deveria existir um plano anual de actividades, desde que estas se insiram num espírito de desenvolvimento do grupo de trabalho".

  • Asneira livre
  • Colaborador revela: "Quando vou limpar os computadores, as respostas dos meus colegas são semelhantes às suas: têm sempre muito que fazer e não podem ceder 10 minutos..."

  • Galeria do Insólito
  • Em todas as instituições há um "tesourinho deprimente" escondido... Ora veja!

Ver Notícias

 

A S N E I R A  L I V R E


Conversas na minha barbearia

Imagem Principal Artigo

Por Gaudêncio Grilo*

Gaudêncio Grilo na barbearia, em desabafo com o seu amigo barbeiro, dá-nos lições de poupança e não só:

Gaudêncio Grilo: Ora bom dia Sr. Manel, vamos lá ao “corte”.

Barbeiro: Bom dia! Bons olhos o vejam, Sr. Grilo! Sente-se aqui na cadeira.

GG: Isso digo eu, até que enfim que há uma vaga.

B: Sabe, Sr. Grilo, tenho tido muito que fazer.

GG: Calculo, na sexta-feira da semana passada a barbearia estava fechada.

B: Sr. Grilo, eu e o empregado fizemos ponte.

GG: E na semana anterior houve um dia que também estava a barbearia fechada.

B: Desculpe Sr. Grilo, mas nesse dia fomos mais cedo para casa.

GG: Há cerca de 15 dias atrás também estava fechada.

B: Estava de férias.

GG: Ó homem, a sua barbearia até parece o meu emprego!

B: Como assim? O Sr. Grilo não trabalha em computadores e electricidade?

GG: Sim, trabalho, mas é exactamente o que acontece no meu emprego. Quando vou limpar os computadores, as respostas dos meus colegas são semelhantes às suas: têm sempre muito que fazer e não podem ceder 10 minutos... o comportamento é muito parecido com o da sua barbearia.

GG: A propósito, Sr. barbeiro, o senhor não desliga as luzes no fim do dia quando acaba o trabalho? Ontem à noite estavam acesas.

B: Sabe, a gente ao fim do dia está tão cansada que nem se lembra de apagar. Além disso, são lâmpadas fluorescentes de 100 velas.

GG: É por isso que eu digo que a sua barbearia até parece o me emprego.

B: O quê? Também deixam as luzes ligadas no seu emprego?

GG: Não, as luzes não. Mas os computadores e os monitores ficam sempre ligados. Só deveriam ficar ligados os necessários, os outros não. O Sr. Manuel devia deixar apenas uma pequena luz de presença. Olhe que as 100 velas de que o senhor fala, em 10 lâmpadas são mil. Isso é 1000W, é um Kilo (kW) a multiplicar por uma hora dá um kW/h que, na prática, corresponde a 10 cêntimos, ou seja, 20 escudos antigos.

B: Já percebi, isso num ano inteiro dá uma pipa de massa à EDP, Sr Grilo. Pronto, o “corte” está impecável. São sete euros.

GG: Bom, vou andando, até à volta semanal. Aqui tem o dinheiro.

B: Obrigado! Volte sempre, Sr. Gaudêncio.

Virando-se para o empregado, o barbeiro comentou: "Com este cliente aprendo sempre coisas novas quando vem cá. Vou fazer como ele disse".

O empregado responde: "Isso, isso Sr. Manuel, assim no fim do ano tem mais dinheiro e pode-me aumentar o salário que é uma miséria".

O Barbeiro: "Ó seu “esticadinho” de uma figa, pró que faz não merece mais, eu pago-lhe para trabalhar e não para falar. Cale-se e “corte” ".

 


* Colaborador do Serviço de Comunicações e Informática (SCI)



INESC Porto © 2021  |Discutir no Forum   |Ficha Técnica   |Topo      

RESPONSABILIDADE: O BIP é um boletim irreverente e não oficial e os artigos e opiniões publicados não pretendem traduzir a posição oficial da instituição, sendo da responsabilidade exclusiva dos seus autores.