INESC Porto
Galeria Jorge de Sena
Boletim INESC Porto
 
B o l e t i m N ú m e r o : 3 3 ( i n t e r n o ) / 1 9 ( p ú b l i c o )
 
 


O p i n i ã o

A Vós a Razão
Leitor revela: "Decidi dar uma vista de olhos nas edições anteriores desta rubrica e descobri, sem grande surpresa, que a maior parte se dedicava a reflectir sobre o que é o INESC Porto ou sobre o que deveria passar a ser..." »

Galeria do Insólito
O que é que um jipe preso num buraco de obras tem de insólito? Descubra com os seus próprios olhos nesta galeria»

Asneira Livre
Leitora reflecte: "Numa tentativa pseudo-bloguista, aproveito este pequeno espaço no BIP (significa Bery Important Paper, não é?!?) para partilhar com vocês algumas impressões com que tenho ficado ao longo da minha experiência "inesquiana"»

Biptoon
Bamos Indo Porreiros »

Especial
À semelhança do que tem acontecido nos anos anteriores, o INESC Porto marcará presença na Semana da Ciência e da Tecnologia, uma iniciativa da Ciência Viva - Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica, a decorrer de 22 a 28 de Novembro em todo o país.»

Notícias »

 

Projecto FATEC - Fabrica de Alta Tecnologia para Calçado 


INESC Porto na revolução do sector do calçado

A Unidade de Engenharia de Sistemas de Produção (UESP) está a trabalhar no projecto FATEC - Fabrica de Alta Tecnologia para Calçado - que pretende ser o rosto de uma segunda geração de novas soluções tecnológicas vocacionadas para toda a cadeia de valor da indústria do calçado. Segundo Luís Carneiro, coordenador adjunto da UESP, este é um projecto de grande dimensão e de importância estratégica para a Unidade.

O contexto nacional
Fazendo face à crise do calçado em Portugal, e quando muitos tinham anunciado a "morte" do sector, a cooperação entre empresas rivais provou, em várias circunstâncias, ser a forma mais adequada de aumentar a competitividade empresarial.

A chave do sucesso residirá então na capacidade de conjugar as estratégias empresariais com uma acção sectorial que as enquadre e potencie. Tudo isto aliado à procura constante da inovação tecnológica e simplificação dos processos produtivos, conduziu ao desenvolvimento do projecto FACAP, promovido pela APICCAPS - Associação Portuguesa dos Industriais de Calçado, Componentes, Artigos de Pele e Seus Sucedâneos e liderado pelo Centro Tecnológico do Calçado.

A primeira "fábrica"
O actual projecto FATEC surgiu na sequência do projecto FACAP - Fábrica de Calçado PEDIP - que se traduziu no desenvolvimento de cerca de 45 novos equipamentos e sistemas tecnologicamente inovadores. Além de estarem a ser aplicados no nosso país, alguns dos produtos desenvolvidos encontram-se correntemente instalados em Espanha, Brasil, México, Canadá e Austrália.

Os frutos deste projecto, desenvolvido entre 1996 e 2000, estão à vista: várias empresas portuguesas de calçado entre a elite mundial; um sector de bens de equipamento pujante a emergir na cena internacional; a criação de laços de cumplicidade entre a indústria e as instituições do sistema científico e tecnológico.

A alta tecnologia
Dois anos depois do FACAP, arrancou o projecto FATEC - Fabrica de Alta Tecnologia para Calçado, que integra um total de 37 subprojectos autónomos, distribuídos por 10 áreas estratégicas da cadeia de valor da fileira do calçado, e propõe o desenvolvimento de um total de cerca de 100 novos equipamentos/sistemas.

Este projecto procura capitalizar os ensinamentos do FACAP, mantendo e aprofundando as parcerias e os consórcios já estabelecidos, e procurando alargar a base de entidades do sistema científico participantes e as tecnologias desenvolvidas. O FATEC propõe-se ainda estender a filosofia do projecto anterior, envolvendo os fornecedores, penetrando na indústria de componentes e procurando resolver ou minorar alguns dos estrangulamentos crónicos detectados.

Os objectivos estratégicos
O que se espera do projecto FATEC é que suba mais um degrau na escala da complexidade e sofisticação, apostando no desenvolvimento de linhas integradas e automáticas para os vários subsectores da fileira do calçado e visando a implementação de verdadeiras unidades industriais topo de gama.

A integração de tecnologias, a robotização e automação das operações fabris, a eliminação das operações manuais de movimentação e armazenagem, a ligação automática dos sistemas de informação das empresas envolvidas na cadeia de valor, a produção flexível par a par, a criação de normas e interfaces comuns entre sistemas baseados nas tecnologias da informação e comunicação são os objectivos essenciais do FATEC.

O consócio nacional
Iniciado em Julho de 2002, com uma duração prevista de três anos, o projecto FATEC está a ser desenvolvido por um consórcio nacional de 17 entidades (quatro entidades do sistema científico e tecnológico nacional, cinco empresas de base tecnológica e oito empresas industriais de calçado, componentes e curtumes), com o financiamento da medida 2.2B do POE - Projectos Mobilizadores para o Desenvolvimento Tecnológico.

O investimento global aprovado foi de 15.170.877, representando para o INESC Porto um financiamento de 1.170.000. Segundo Luís Carneiro, coordenador adjunto da UESP, "este é o projecto de maior dimensão na história da Unidade".

Os subprojectos a desenvolver
No âmbito deste projecto, a UESP está envolvida no desenvolvimento de 21 novos equipamentos/sistemas, integrados em seis áreas: equipamentos para fábricas de pequenas dimensões; equipamentos automatizados de produção; fábrica robotizada de montagem plana par-a-par; sistemas de logística; sistema de telemanutenção; e sistemas de gestão operacional.

Entre os subprojectos contam-se o sistema de transporte e distribuição par-a-par, a máquina automática de pintar bordos, o sistema integrado de balanceamento e controlo da linha robotizada, o sistema de logística integrada para distribuição de materiais e produtos em curso, o sistema de manutenção remota e o sistema de gestão de controlo operacional.

Estes subprojectos são desenvolvidos em parceria com a Lirel e com o Centro Tecnológico do Calçado e contam com diversas empresas de calçado como empresas Piloto.

O envolvimento do INESC Porto
Depois dos projectos LOGICSTORE e LOGICTRANS em 1997 com a Lirel e o Centro Tecnológico de Calçado, do FACAP e, mais recentemente, o projecto Europeu Ciclop, o actual projecto FATEC vem dar seguimento ao investimento da Unidade na área da logística interna e no sector do calçado.

Na opinião de Luís Carneiro, "o projecto FATEC tem uma importância estratégica para a Unidade, na medida em que vai permitir dar um salto qualitativo na área da Logística Interna e consolidar a intervenção no sector do Calçado".

Rui Diogo lidera o grupo da UESP que desenvolve os subprojectos atribuídos do FATEC. Integram ainda a equipa Paulo Sá Marques, Luís Guardão, Pedro Ribeiro, Luís Lima, Fernando Guedes, Paula Silva, Luís Carneiro e Jorge Pereira.