B O L E T I M Número 80 de Fevereiro 2008 - Ano VIII

 BIP in English  BIP in English 

Início Destaque Editorial Especial Arquivo
 

N o t í c i a s  

INESC Porto LA  

A n ú n c i o s  

  • Jobs For The Boys And Girls
  • Nesta secção, o leitor encontra referência a anúncios publicados pelo INESC Porto, oferecendo bolsas, contratos de trabalho e outras oportunidades do mesmo género...

Ver Opinião

 

D E S T A Q U E

Sistema de monitorização de grande estrutura em Lisboa desenvolvido pela FiberSensing

Spin-off do INESC Porto com tecnologia no Túnel do Rossio

Imagem Principal Artigo

No âmbito da reabilitação do Túnel do Rossio, a FiberSensing – Sistemas Avançados de Monitorização, SA, forneceu à REFER um sistema completo de monitorização estrutural baseado em sensores de fibra óptica. O projecto teve início em 2005 e foi realizado em parceria com a EPOS – Empresa Portuguesa de Obras Subterrâneas. O sistema foi totalmente desenvolvido e produzido pela FiberSensing, incluindo sensores, unidades de medição e software, enquanto a EPOS colaborou essencialmente na especificação, teste e instalação do sistema.

O envolvimento da FiberSensing
Na sequência da interrupção do Túnel do Rossio por razões de segurança em 2004 e do início das obras de Reforço e Reabilitação, a Rede Ferroviária Nacional (REFER) efectuou uma consulta pública a diversas empresas nacionais e internacionais, tendo a FiberSensing sido convidada a apresentar uma proposta à “Prestação de Serviços para o Fornecimento e Instalação de um Sistema de Monitorização Estrutural do Túnel do Rossio”.

Em consórcio com a EPOS, a FiberSensing apresentou uma proposta totalmente baseada em sensores de fibra óptica, que permitem o acompanhamento contínuo da evolução da convergência em mais de 100 secções ao longo do Túnel do Rossio. A proposta acabou por ser a seleccionada devido às características técnicas e ao custo competitivo face às propostas concorrentes.

O desenvolvimento do projecto
A 16 de Novembro de 2005 foi assinado o contrato relativo ao Sistema de Monitorização Estrutural do Túnel do Rossio entre a REFER e o consórcio FiberSensing/EPOS.

Até ao Verão de 2007, actividades como produção e instalação de sensores nos perfis metálicos, implementação de algoritmos e software de gestão de dados, testes e calibrações foram essencialmente desenvolvidas na FiberSensing. As actividades de instalação dos perfis instrumentados no Túnel, bem como das cablagens ópticas e equipamentos de medição, começaram em Setembro do mesmo ano e estenderam-se até à reabertura do Túnel.

Experiência prévia
Segundo Luís Ferreira, responsável pelo projecto na FiberSensing, as referências das empresas são sempre determinantes na viabilização de novos projectos. Quando apresentou a proposta à REFER em 2005, as referências da FiberSensing eram ainda relativamente reduzidas, sendo a empresa essencialmente conhecida pelo seu potencial tecnológico e pela qualidade da sua equipa.

Nessa altura, a FiberSensing estava numa fase intensa de desenvolvimento de produtos e tinha ainda poucos projectos de monitorização em carteira, sendo no entanto de destacar o fornecimento de sistemas de monitorização para a ponte de Vila Fria em Felgueiras e para a Ponte Luiz I no Porto aquando do reforço para a passagem do Metro.

O Know-how do INESC Porto
Sendo a FiberSensing uma spin-off do INESC Porto e parte dos colaboradores da empresa daí provenientes, os conhecimentos adquiridos no Instituto terão tido certamente algum peso na viabilização deste projecto.

“A formação avançada em Optoelectrónica, a experiência adquirida em inúmeros projectos de I&D na área dos sensores de fibra óptica, em especial aqueles que envolveram instalações piloto, contribuíram com certeza com parte substancial do know-how necessário ao desenvolvimento de um projecto tão ambicioso como é o do Sistema de Monitorização do Túnel do Rossio”, afirma Luís Ferreira, que acrescenta que a colaboração com o INESC Porto “assume especial relevância pelo facto de a investigação fundamental desenvolvida no Instituto poder alimentar o ciclo de inovação da empresa contribuindo para a geração de novos produtos e assegurando a competitividade tecnológica a longo prazo".

O balanço final
Para a FiberSensing o balanço é francamente positivo. “A empresa ganhou projecção devido à importância do projecto, aumentou a experiência na instalação de sistemas de monitorização em grandes obras, desenvolveu uma solução completa para monitorização de convergência em túneis que poderá ser instalada em larga escala e colaborou com parceiros excepcionais com os quais aprendeu e cresceu.”

O Túnel do Rossio foi reaberto no dia 16 de Fevereiro, com a presença do primeiro-ministro José Sócrates, o ministro das Obras Públicas, Mário Lino, a secretária de Estado dos Transportes, Ana Paula Vitorino, e o presidente da REFER, Luís Pardal.



INESC Porto © 2019  |Discutir no Forum   |Ficha Técnica   |Topo      

RESPONSABILIDADE: O BIP é um boletim irreverente e não oficial e os artigos e opiniões publicados não pretendem traduzir a posição oficial da instituição, sendo da responsabilidade exclusiva dos seus autores.